Como tratar olheiras e recuperar a vitalidade do seu rosto? Entenda

Tempo de leitura: 6 minutos

Cuidar da aparência é fundamental para ter uma sensação de bem-estar, tranquilidade e, principalmente, elevar a autoestima na hora de se olhar no espelho. Segundo pesquisa feita pela revista Cláudia, as mulheres entrevistadas (mais de mil) apontaram que estar feliz é um dos principais fatores para se sentirem bonitas.

Elas também disseram que é preciso cuidar da autoimagem para isso ocorrer, visando não só o convívio pessoal, mas também o profissional. E, dentre as principais preocupações que afligem o sexo feminino, está a bendita olheira — aquela carinha de urso panda que aparece logo de manhã.

Quando a região já está um pouco profunda, mesmo colocando uma rodela de pepino gelado ou carregando na maquiagem, as inconvenientes não desaparecem totalmente, não é mesmo? Quer entender um pouco mais sobre o tratamento para olheiras? Então, continue a leitura e confira o conteúdo que preparamos para você se cuidar e sentir aliviada!

O que são olheiras?

É importante entender a raiz do problema para poder tomar as atitudes mais coerentes e assertivas quanto a cada situação que se apresenta abaixo dos olhos. Cientificamente, a olheira é conhecida como melanose periorbital.

Ela consiste, basicamente, em marcas de certa profundidade, como sulcos e rugas, com cores de aspecto roxo ou castanho ao redor dos olhos. Esses círculos escuros resultam da luz refletida nos vasos sanguíneos da frágil e delicada região. Com relação aos principais tipos de olheiras que aparecem no rosto, podemos destacar as:

Constitucionais

As olheiras constitucionais ocorrem quando a parte abaixo dos olhos apresenta uma tonalidade um tanto avermelhada ou acastanhada. Elas possuem sulcos mais fundos e são mais difíceis de serem tratadas. Surgem, em sua maioria, nas pessoas de descendência árabe ou indiana.

Melânicas

As melânicas, por sua vez, têm um aspecto mais amarronzado e são comuns em pessoas de pele negra, devido ao acúmulo de melanina — responsável por dar pigmentação à pele. São desencadeadas pela exposição em excesso aos raios solares ou por problemas de origem hormonal.

Sanguíneas

Esse tipo de olheira já possui uma coloração mais puxada para o roxo — que se deve ao acúmulo de sangue na região. Quando o organismo está descontrolado passa a propagar mais hemoglobina, substância que confere a pigmentação ao sangue, favorecendo essas manchas abaixo do olho ou nas pálpebras.

Vasculares

Nesse caso, a zona afetada apresenta uma marca ou afundamento, boa parte das vezes com tonalidade azulada. São fatores externos que desencadeiam o quadro, como os vícios, que geram um desequilíbrio na circulação sanguínea, deixando-a parcialmente comprometida.

Quais são as principais causas?

As olheiras podem ser ocasionadas por diversos motivos e, portanto, é essencial se preocupar com a saúde (até para evitar complicações ainda maiores). É como se o seu corpo avisasse que algo não está funcionando regularmente e que precisa de reparo.

O processo natural de envelhecimento da pele gera uma perda em sua elasticidade e, consequentemente, de sua capacidade de se autorregenerar. Algumas regiões, como ao redor do globo ocular, tendem a ter um afinamento da pele conforme os anos vão passando.

A predisposição genética ou a hereditariedade é um fator preponderante, pois pessoas que possuem um histórico familiar de olheiras têm maior probabilidade de apresentar o mesmo tipo de problema — como acontece nas constitucionais. Nas melânicas, também pesa a questão genética, já que a hiperpigmentação da pele pode ter uma influência significativa na região facial.

Noites mal dormidas, cansaço físico e estresse emocional são pontos relevantes a serem observados pelas mulheres. Eles ocasionam uma má circulação do sangue e, inevitavelmente, sinais de desgaste no rosto, como os sulcos, por exemplo.

É interessante salientar que o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e fumo pode prejudicar a circulação do sangue e acarretar uma hiperprodução de hemoglobina. São geradas, assim, as olheiras vasculares, como já mencionamos.

Alergias respiratórias, como rinite e sinusite, podem agravar o problema, já que a mucosa nasal incha nesses casos. Isso proporciona problemas venosos, escurecendo a zona facial.

Quais cuidados é preciso tomar?

É imprescindível tomar alguns cuidados em relação às olheiras. Por isso, é até interessante que você procure profissionais dermatológicos que deem diagnósticos mais eficazes para, assim, ter o problema tratado de maneira efetiva.

Os médicos dizem que um ser humano deve dormir de 6 a 8 horas por dia para descansar o necessário para o corpo e preparar o organismo para realizar novos metabolismos.

Além disso, uma alimentação saudável é primordial para qualquer pessoa, não é verdade? Portanto, não deixe de fazer as refeições regularmente e procure sempre ter uma dieta balanceada, à base de frutas, legumes e cereais. Alimentos que possuem as vitaminas do complexo B, por exemplo, são excelentes para a circulação do sangue.

Quais tratamentos podem ser realizados?

Assim que identificar as olheiras, principalmente após o contato com especialistas da área de estética, o próximo passo será marcar o tratamento que melhor trará resultados. Alguns deles são:

Aplicação de laser de CO2

O procedimento consiste na aplicação de um laser ablativo de CO2 que age nas camadas mais profundas da região facial. A intenção é estimular a produção de colágeno em detrimento da ação excessiva da melanina. A indicação é de uma sessão por mês, sendo que o número de aplicações variará conforme a gravidade do problema.

Preenchimento dos sulcos

Esse tratamento é recomendado para aquelas situações em que as olheiras são ainda mais profundas. Os dermatologistas indicam a aplicação de ácido hialurônico a cada 6 meses, pois trata-se de um componente seguro, que promove a hidratação do local em que é injetado.

Peeling químico

Para as olheiras melânicas e constitucionais, ele é bem indicado, pois clareará gradativamente a região que apresenta uma coloração acastanhada. O tratamento dura, em média, 10 sessões, com intervalos de 15 dias cada.

Cirurgia plástica

Se a situação tiver avançado e o paciente apresenta bolsas de gordura acentuadas nas regiões abaixo dos olhos, faz-se necessário um acompanhamento médico e, consequentemente, um procedimento cirúrgico, chamado de blefaroplastia, para sanar essa questão estética.

Drenagem Linfática

Indicado para o pós-operatório, pois amenizará a fibrose e o edema presente na região tratada. O bombeamento por meio da drenagem desobstruirá os canais linfáticos, amenizando, assim, as olheiras. Portanto, são indicadas 10 sessões pelo menos e o intervalo entre uma e outra vai depender da região a ser tratada. 

Muitas mulheres também recorrem a tratamentos naturais, como máscaras de argila, compressas de chá gelado ou massagens com babosa, óleo de coco e amêndoas para minimizar as olheiras.

E então, curtiu o post? Agora que você já está por dentro do tratamento para olheiras, confira tudo o que podemos oferecer em matéria de procedimentos estéticos faciais. Cuide-se e até a próxima! 

Sobre Clinica Eva

Clinica Eva

A Clínica EVA valoriza o cliente, prestando atendimento sempre de forma ética e transparente, identificando as suas reais necessidades e proporcionando a melhor experiência em alcançar beleza e bem estar. Trabalhamos com o que existe de melhor para tratamentos corporais, faciais e depilação a laser, com profissionais preparados e qualificados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *