Antes e depois da criolipólise: o que fazer para ter resultado?

Tempo de leitura: 11 minutos

O método vem conquistando muitas mulheres e não é em vão — afinal, o procedimento ajuda na perda da tão incômoda gordura localizada. Contudo, as dúvidas são recorrentes e englobam especialmente questões acerca do antes e depois da criolipólise.

E você, também tem muitas dúvidas? Já está decidida a desfrutar dos benefícios dessa técnica? Continue acompanhando o post e, além de tirar as suas dúvidas, descubra ainda mais motivos para marcar já o seu procedimento!

Criolipólise: o que é?

Em uma descrição resumida, é um método que foi desenvolvido na famosa Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. O resultado é o fim da gordura localizada, efeito esse proporcionado pela ação da baixa temperatura utilizada no procedimento. 

O tratamento destrói as células de gordura — chamadas de adipócitos — através do resfriamento controlado. Como a pele e os músculos são mais resistentes ao frio, apenas essas células sofrem os danos. 

O mais interessante é que o procedimento não envolve agulhas, cortes ou anestesias — tão comuns em outros tratamentos estéticos. Ou seja, não é invasivo. É perfeito para quem tem medo de sentir dor, mas não dispensa um método eficaz.

Nesse tratamento, é utilizado um aparelho específico que se adapta às diferentes partes do corpo, como barriga e costas. Na ponteira do equipamento há uma poderosa ferramenta que realiza um vácuo que promove a sucção da gordura localizada, ajudando, assim, a promover a destruição dessas células adiposas.

Com a destruição das células pela baixa temperatura, a gordura é conduzida pelo organismo ao fígado para que ela seja metabolizada. Após isso, o sistema linfático, aos poucos, vai levando esse elemento para ser eliminado pelo corpo, não sobrecarregando o fígado.

Qual é a melhor época para fazer?

Não há época certa ou errada para começar o tratamento de criolipólise.

A única ressalva é em relação aos resultados, isto é, se você quer estar com o corpo livre de gordura localizada no início do verão, é preciso se programar para começar antes, cerca de 2 a 3 meses. 

Em qual região do corpo pode ser realizado o procedimento?

A indicação é para as regiões em que há a famosa e temida gordurinha localizada, ou seja, abdômen, flancos, costas, além de pernas e braços.

O rosto, por exemplo, é uma região não permitida, e um dos motivos é a necessidade de encaixe do aparelho aplicador na área — o que não é possível nessa parte.

No geral, é possível tratar áreas de todos os tamanhos, sendo comum, inclusive, a divisão do procedimento em duas partes na mesma seção, a fim de que um local mais extenso seja tratado completamente. 

Resumindo: parte superior e inferior das coxas, região subglútea, braços, flancos, joelhos e abdômen estão liberados! Em todos eles o antes e depois da criolipólise é surpreendente! 

Quais os efeitos colaterais?

No geral, o procedimento, desde que realizado por profissionais habilitados e com aparelhos de boa qualidade, não apresenta riscos. A segurança se deve, principalmente, ao fato de não danificar nenhum dos tecidos adjacentes. 

No momento em que é feita a sucção, alguns pacientes costumam sentir dor, mas logo em seguida é suprimida, pois há o congelamento das células adiposas, o que promove o anestesiamento da área de aplicação. O incômodo também pode ser sentido na hora em que o aparelho for retirado, mas ele não perdura.

Embora a maioria das pessoas tenha uma recuperação tranquila e sem a manifestação de nenhum efeito colateral, pode ocorrer sensibilidade ao toque, formigamento, dor, vermelhidão e alguns hematomas. No entanto, a tendência é que esses incômodos desapareçam em seguida. 

Desconforto e sensação de dor também são efeitos aceitáveis e que podem ser considerados normais. Outra sensação que alguns pacientes podem experimentar é de inchaço nos primeiros dias após o procedimento, mas o efeito passa em pouco tempo.

Existem contraindicações?

Como é de se esperar, nem todo o tratamento pode ser realizado por todas as pessoas, fazendo com que a criolipólise não seja diferente. Por isso, a primeira coisa a ser feita é passar por uma avaliação do profissional para que ele possa definir se o procedimento poderá ou não ser realizado.

Entre as contraindicações, podemos incluir o grupo de pessoas que possuem algum tipo de sensibilidade ao frio ou tenham problemas de pele, como urticária. Outras especificidades nas quais o indivíduo não pode realizar o procedimento: infecção de pele no local, hérnia, cirurgias recentes e durante a gestação. Pessoas com próteses metálicas na região ou DIU de cobre na região abdominal também não podem fazê-lo.

Vale lembrar que o método não trata a obesidade, apenas gordura localizada. Por isso, ele não é indicado para que deseja emagrecer. Sendo assim, para realizá-lo a pessoa precisa primeiro manter um estilo de vida saudável e fazer atividades físicas, a fim de perder o sobrepeso.

Após isso, se houver os temidos pneuzinhos e excesso de gordura em determinados pontos, o profissional indicará se o tratamento poderá ser executado com eficácia.

Como é o pós-procedimento?

Depois do tratamento, ao contrário de outros métodos, não existem sessões para manutenção. Entretanto, há formas de manter o resultado por mais tempo, que envolvem especialmente a adoção de hábitos saudáveis.

Geralmente, é feita uma sessão por parte. Por isso, se precisar de outra, o paciente deve esperar de 60 a 90 dias. Isso porque, nesse meio tempo, os resultados de fato aparecerão, sendo que nos primeiros dias o corpo pode ter diferentes reações, não dando uma real noção ao indivíduo do tratamento. Aliás, esse é o tempo mínimo para que a gordura seja eliminada, de fato, do organismo, e a pessoa consiga ver os efeitos.

Logo após o processo, é importante ter cuidado com algumas questões importantes. Geralmente, após a aplicação da criolipólise em determinada região do corpo, o tecido fica mais rígido, devido ao “congelamento” da gordura. Isso pode ser minimizado com massagens no local, sendo que o paciente não terá mais a sensação de resfriamento.

No entanto, independentemente disso, o indivíduo não poderá expor a área em tratamento ao sol ou calor excessivo (o que inclui jatos de água quente advindos do chuveiro). É fundamental também evitar a realização de atividades físicas que exijam muito do corpo nos primeiros dois dias.

É possível potencializar o resultado?

Sim! Alguns hábitos podem ajudar não só na intensificação da perda de gordura, mas também na saúde.

A verdade é que a gordura eliminada no procedimento não volta, mas é possível — provável, inclusive — que ela vá se acumulando novamente ao longo dos meses em virtude de uma série de hábitos incorretos.

Imagine a seguinte situação: após a sessão, o resultado tão esperado é alcançado, mas os hábitos continuam os mesmos de antes. Será que esse resultado será mantido? Certamente não!

Por isso, é tão relevante rever todos os hábitos e mudar a rotina. O resultado disso será muito mais que a manutenção do resultado, mas a potencialização da conquista proporcionada pela crio. 

Mantenha uma dieta balanceada

Isso não quer dizer seguir a risca planos alimentares, mas sim incorporar na sua rotina alguns alimentos mais saudáveis. Para potencializar os resultados vale a pena até mesmo começar a reeducação alimentar antes do procedimento, para melhorar os resultados.

O primeiro passo é evitar os industrializados, pois há muita adição de acidulante, adoçante e aromatizantes artificiais. Gorduras e alimentos calóricos e ricos em sódio também devem ser reduzidos drasticamente da dieta. Afinal, eles contribuem diretamente com o acúmulo de gordura em determinados locais do corpo.

Ademais, é importante adicionar frutas, legumes, verduras, proteínas, grãos e alimentos integrais na sua alimentação. Tudo isso, além de contribuir para a eliminação das gorduras localizadas, evita que mais gordura se acumule. Vale lembrar que a dieta tem o objetivo de equilibrar os nutrientes no corpo; por isso, a eliminação radical de qualquer grupo alimentar deve ser acompanhada por um nutricionista.

Pratique atividade física

Exercícios são excelentes aliados na hora de acelerar o metabolismo, fator importante para o processo de eliminação da gordura. A eliminação de toxinas pelo suor é outro benefício.

Se a sua escolha for a musculação, a musculatura hipertrofiará, o que ajudará na prevenção da flacidez e na definição das curvas. Além disso, esse tipo de exercício fortalece o corpo, fazendo assim com que o resultado do tratamento seja ainda melhor. A musculação também interfere diretamente no sistema digestivo, ajudando o organismo no seu funcionamento.

Corrida, caminhada, treino funcional e dança também são boas alternativas. Esses tipos de exercício são grandes aliados na melhora da circulação de sangue, o que ajuda na transposição e eliminação das toxinas. Eles também ajudam a tonificar o corpo por completo. Ou seja, o efeito não será apenas sentido na área em que foi feita a crio, mas em toda a estrutura física.

Beba bastante água

Ela é essencial para o bom funcionamento do organismo. Aliás, boa parte do nosso corpo é formado por esse elemento; então, lembre-se sempre da sua importância.

Deixe constantemente uma garrafinha por perto — o líquido vai ajudar o seu sistema linfático na hora de eliminar a gordura que foi trabalhada na sessão. Não esqueça: 2 litros ou mais! Acrescente também outros líquidos, como os sucos naturais!

Faça sessões de drenagem linfática

drenagem linfática é uma grande aliada na criolipólise. Geralmente, como o paciente precisa fazer mais de uma sessão do tratamento, ela auxilia na aceleração dos resultados.

Isso acontece por que ela ajuda no transporte de líquidos, incluindo, a gordura que está localizada em determinada área, eliminando-a pelo próprio organismo. Ademais, ela contribui com a boa circulação no local, auxiliando a expelir as toxinas.

Aposte nos métodos pós-crio

Como sabemos, não existe nenhum milagre em um método não invasivo. Qualquer desequilíbrio, como má alimentação e falta de exercícios físicos, não trará resultados tão satisfatórios. Por isso, além de seguir os passos mostrados anteriormente, vale a pena apostar em um método pós-crio.

Esse tratamento é feito após uma ou duas semanas do procedimento. A ideia é trabalhar nas áreas que não foram afetadas pela criolipólise, ajudando a redistribuir a gordura que fica no corpo, e também a combater a flacidez, visto que há uma rápida eliminação de gordura em pontos específicos do corpo.

Cada tratamento pós-crio é pensado de forma personalizada para o paciente, fazendo com que o efeito seja potencializado. Entre eles, podemos destacar o Heccus, que é um ultrassom de alta potência que ajuda na eliminação por meio da ativação dos sistemas linfático, sensorial e motor, além do Cellutec, que atua no processo de contorno do corpo e na melhora da qualidade da pele, deixando-a com um aspecto mais saudável.

Isso não significa que o paciente não verá resultados se não fizer o tratamento pós-crio. Ele deve fazer, se quiser ver resultados mais rápidos e desejar uma maior harmonia corporal.

A criolipólise é um tratamento sem cortes e não invasivo ao corpo, sendo uma opção muito procurada pelas pessoas que desejam formas corporais mais harmônicas e eliminar a temida gordura localizada. Como você pôde ver, ele deve vir acompanhado de uma série de cuidados pré e pós-tratamento.

E então, o artigo esclareceu as suas dúvidas sobre o assunto? Você decidiu fazer o tratamento? Entre em contato conosco e conheça os nossos serviços!

Sobre Clinica Eva

Clinica Eva

A Clínica EVA valoriza o cliente, prestando atendimento sempre de forma ética e transparente, identificando as suas reais necessidades e proporcionando a melhor experiência em alcançar beleza e bem estar. Trabalhamos com o que existe de melhor para tratamentos corporais, faciais e depilação a laser, com profissionais preparados e qualificados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *